sexta-feira, 24 de abril de 2009

CONSTRUTOR

Comemorou o seu 71º aniversário no mês passado. O seu nome não é relevante, não aparece em revistas ou jornais. Não publicou livros, não é actor nem músico, não realizou nenhuma obra que o celebrizasse... daqui a algumas gerações o seu nome terá sido esquecido. O seu nome não ficará escrito nos livros de história, mas ficará indelevelmente guardado no meu coração. Conheci-o recentemente e aproximei-me dele acerca de dois anos. Não sei muito do seu passado, apenas o que ele conta quando vem a propósito. Nasceu numa família humilde, foi para o seminário cedo, durante a guerra colonial foi capelão militar algures em África. Terminada a guerra voltou à sua terra natal, mas o bispo colocou-o numa terra distante da dos seus pais, gravemente doentes e a precisar do seu auxílio. Talvez tenha sido esta a gota de àgua que o fez deixar o sacerdócio, os verdadeiros motivos desconheço. Tirou o curso de psicologia. Casou-se e teve uma filha que nasceu com uma deficiência profunda. Durante 17 anos, ele e a esposa, deram de comer à menina, puseram-lhe e tiraram-lhe as fraldas, lavaram-na, vestiram-na e pentearam-na, levaram-na a passear, cantaram-lhe e contaram-lhe histórias, beijaram-na e abraçaram-na...era a sua menina. A sua filha faleceu e mais tarde vítima de doença, que sei ter sido prolongada, também faleceu a mãe. O tempo passou, não sei quantos anos ao certo, voltou a encontrar o amor e casou-se à cerca de doze anos. É uma pessoa que admiro, nunca o ouvi lamentar-se da sua vida ou das dificuldades por que passou, tão pouco proferir alguma palavra amarga sobre o seu passado. Está sempre disponível para quem o procura, ouve como ninguém e acima de tudo não julga as pessoas. Tem um coração grande, sempre pronto a ajudar quem ele sabe que precisa. Adora a sua "quinta" que mantém impecável com a ajuda de um jardineiro e no final do ano passado encontrou um novo "hobbie", aprendeu a pintar estatuetas que pelo Natal ofereceu à família e amigos: anjos, Meninos Jesus e Sagradas Famílias ... Guardo o anjo que me ofereceu no meu quarto, bem perto de mim. À esposa ofereceu recentemente um humorístico casal de namorados. Nunca o ouvi lamuriar-se dos seus 71 anos e tem sempre um novo projecto a ser posto em prática. Tenho a certeza que muitas vezes duvidou do seu Deus, no qual continua a acreditar, que chorou com as dificuldades que lhe surgiram, talvez tenha perdido momentaneamente a esperança, se calhar nem sempre foi feliz...hoje basta olhar para os seus olhos para saber que é. Vejo-o como um construtor...um construtor da sua vida.

7 comentários:

Vento disse...

Há pessoas pela sua humildade marcam na sua passagem por esta selva.
Quantas palavras já ele gritou nos seus silêncios, só ele sabe... essas as levará consigo.

Beijo

mjf disse...

Olá!
É bom ter alguem como esse " construtor"...que está bem com a vida e é bom ouvinte :=)

Beijocas aos dois

Maria disse...

E é seguramente um construtor da sua vida. Dos que cai e se levanta. Dos que não desistem...

Um beijo

f@ disse...

Pureza... o coração de alguns seres humanos...
Mto Belo texto... profunda história de uma VIDA IMENSA...

Beijinhos

meus instantes e momentos disse...

ótimo teu texto, Muito bom teu blog. Foi bom vir aqui.
Tenha um belo final de semana.
Maurizio

BlueVelvet disse...

É claro que me comovi e muito com esta história.
Tenho uma profunda admiração pelos sobreviventes. Aqueles que nunca desistem.
Talvez porque eu já tenha sido tentada a desistir muitas vezes.
Talvez a Fé o tenha ajudado,não sei, mas também O deve ter questionado muito.
Muitos beijinhos e bom domingo

Patti disse...

E é o maior privilégio da vida, conhecermos gente assim.