domingo, 28 de junho de 2009

EM JEITO DE BALANÇO


Balanços?Nesta altura do ano? Pois, para mim agora é que fazem sentido. A minha vida é organizada em anos lectivos e de tal forma o sinto que, quando me refiro ao "ano passado", invariavelmente estou a referir-me a "ano lectivo passado. De Setembro a Junho, os meus dias são organizados em função de um determinado horário de trabalho, em que lido com grupos de pessoas, muitas delas diferentes das do ano anterior, em que me proponho e em que me são propostos objectivos diferentes. Além disso, é também por estes dias, em que todos os anos completo mais um ano inteiro de vida. Por isso, para além de um balanço profissional, é nesta altura que dou por mim a fazer contas à vida. Pela primeira vez em quatro anos o saldo é positivo, não simplesmente positivo, mas francamente positivo.

Durante três anos senti-me a descer num escorrega em espiral. Não via o seu fim, mas conseguia adivinhar... era lá em baixo, onde acabavam todos os meus sonhos. Não havia hipótese de sair daquela espiral descendente e o meu medo de chegar ao fim, apenas retardava a descida, tornando-a ainda mais agonizante. Foi uma longa descida que terminou num daqueles dias de nevoeiro denso, em que o céu se cola à terra e em que o ar está tão carregado de água, que se torna impróprio para ser respirado por seres vivos sem guelras. Era impossível ver o que quer que fosse, nem mesmo me conseguia ver a mim própria, era como se simplesmente me tivesse liquefeito durante a descida... Não sei quantas horas teve aquele dia, sei que foram demasiadas, porque nestes lugares qualquer tempo que se passe é sempre excessivamente longo.


Junto ao mar, numa manhã cinzenta, em que as ondas tombavam violentamente na areia e em que as gaivotas eram prenúncio de tempestade, no instante em que ao salgado do mar se juntaram as minhas lágrimas, tornei-me uma com o que me rodeava. Foi nesse momento que voltei a sentir -me viva.

Há um ano, por esta altura, já havia iniciado o percurso de subida. Houve momentos em que sentia não conseguir andar, outros em que me sentia a escorregar e o medo de voltar a cair a espreitar de imediato. Centímetro a centímetro fui subindo, atingindo patamares mais altos. Foi um ano de conquistas, vejo-as como grandes conquistas. Sinto-me cansada, mas satisfeita por ter conseguido alcançar os objectivos que me propusera. Não o fiz sózinha. Fi-lo com uma força, a única em que nunca deixei de acreditar: a força do amor, aquela que sempre senti através da minha família e dos bons amigos que tenho. Se é verdade que a vida por vezes nos prega algumas rasteiras, não menos verdade é que também nos traz agradáveis supresas. Trouxe-me um anjo-da-guarda, que surgiu no meu caminho, de um modo totalmente inesperado (principalmente porque não acreditava neles) que me deu a mão, me fez sorrir e aprender a saborear pequenos instantes de cor.

Agora, sei que esta grande tempestade já passou. Não sei que caminho seguir, mas sei que se me sentar junto ao mar ele mo segredará, porque é nele que mora o meu coração.

11 comentários:

Maria disse...

Tão bonito este texto... é também junto do mar que acalmo, penso, e quantas vezes tomo decisões...
Pega na mão do teu anjo e não a largues, nunca! O mar dir-te-á o caminho a seguir..

Beijos

CarlaSofia disse...

Minha querida, emocionei-me ao ler as tuas palavras. Elas brotaram do teu coração. Que bom o teu balanço ser positivo e parabéns!
Um abraço profundo.

Ana disse...

Gostei muito do teu texto.
Como vês o mais importante é nunca se perder a esperança.
Há sempre uma porta que se abre mesmo quando julgamos que está tudo perdido.

Vento disse...

Os anjos da guarda que apareceram ao longo deste ano foram a força que faltava.

E o mar, esse mar que nos envolve...

Beijo

sani disse...

Como gosto de saborear as tuas palavra.
Fui testemunha desta subida e sei que foi dificil mas conseguiste, e sabes porquê?
Porque ganha sempre a FORÇA, A CORAGEM, A ESPERANÇA, A VERDADE...a DETERMINAÇÃO, A ALEGRIA
Beijos
Amiga
Sani

Sunshine disse...

Obrigada Sani! És uma das boas amigas que me acompanhou nesta tempestade. A tua presença e o teu carinho deram-me força nesta subida.
Beijinho
Carla

Violeta disse...

querida Sunshine
Sabes o quanto fico feliz por ti, porque as tuas podiam ser as minhas palavras e as minhas as tuas.
Também estou a subir a rampa...
Que continues feliz.

Um bj

f@ disse...

Olá Su,

Bom demais ler este texto... e BELO tb...

Desejo que voes sempre nas asas do teu anjo...
perto do teu mar e que a claridade reflectida ma espuma das ondas te ilumine sempre...

imenso beijinho

mjf disse...

Olá!
Nunca devemos perder a esperança...o nosso dia chegará:=)
Felicidades

Beijiocas

Carla disse...

vou reler porque encontrei muito de mim nestas tuas palavras
beijo e bom fds

Vermelho morango disse...

este texto está lindíssimo. as palavras são escolhidas na perfeição, parecem espelhos.Adorei.