sábado, 12 de junho de 2010

QUANDO EU NASCI

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,
Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...

Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...

José Régio

7 comentários:

CarlaSofia disse...

Mas que lindo!
E certamente que o dia foi enormemente feliz :)

Si disse...

E, no entanto, o mundo mudou nesse dia, com a pegada que cada um de nós deixa atrás de si.

Violeta disse...

Gosto muito deste poema de José Régio.
E que cada um de nós possa fazer a diferença, como faz aos olhos da mãe.

R... disse...

Só uma mulher bela como tu escolheria tão belo poema.

Adoro-te
Beijo

Wolf disse...

muito bonito

Há.dias.assim disse...

José Régio, pois então...

llq disse...

pretty good post. I lawful stumbled upon your blog and wanted to command that I get really enjoyed reading your blog posts. Any condition I’ ll be subscribing to your maintain and I hope you despatch again soon Pigalle Christian Louboutin.