sábado, 5 de janeiro de 2008

by Paulo Medeiros


Os meus horizontes





Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...



Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer



Porque eu sou do tamanho do que vejo



E não do tamanho da minha altura...





in O Guardador de Rebanhos (1911-1912)de Alberto Caeiro





Não, não me quero comparar ao poeta em tamanho.
Fiquei na ilha, e encontro a minha paz, na linha do horizonte azul, que sempre vejo.

14 comentários:

andorinha disse...

Olá!

Venho agradecer e retribuir as visitas ao meu cantinho.

Infelizmente ainda não conheço a tua terra, só por imagens, e as que tenho visto são lindíssimas.
Aguçam o apetite:)

Beijinhos.

Sunshine disse...

Quem sabe não venha a surgir a oportunidade. Hei-de colocar mais fotos para aguçar ainda mais o apetite.
Beijinhos

Manuel Damas disse...

Foi premiada.
Parabéns.
Apareça no SAM

Sunshine disse...

Oh professor, pensava que os parabéns eram para a selecção de textos, de fotos e por viver nesta linda ilha... nunca, mas mesmo nunca, pensei que fosse pelo blog.
O meu muito obrigada e beijinhos

Statler disse...

Ora, ora... quanta modéstia!

Tens um prémio, para a próxima será um Nobel.

O beijo fica para outra maré.

Sunshine disse...

Que pena!!! Sabia-me bem um beijinho...como já disse gosto de velhinhos.

Sunshine disse...

E dos seus beijinhos ternurentos... ainda por cima fazem-me lembrar o meu avô... foi assim resmungão sempre.
E já que não me enviam um beijinho, aqui vai um repenicado nas bochechas para cada um de vocês!

vsuzano disse...

Todos guardamos rebanhos...

O Profeta disse...

E fico à espera das oputrs fotos...


Doce beijo

Statler disse...

Bem, só espero que esse beijo repenicado não abra caminhos para outros!

Desta vez aceito o beijo, mas não te estiques nem te convensas que sou dado a beijoquices!
Quer dizer, às vezes até sou, quando lhe começo a tomar o gosto. E depois vai daí, evito beijoquices, não vá alguém apaixonar-se pelo Statler.

Sunshine disse...

Abre, abre!!!
Sempre que me apetecer posso enviar-vos um beijinho, vocês é que podem não querer recebê-lo. Quem fica a perder são vocês.

Waldorf disse...

Velho! VELHO!
Vim dar contigo aqui, a namorar insularmente com a Sunshine!
tsss tsss tssss quer dizer, a namorar não, a fazeres-te de esquisisto, isso sim!!!!
Cala-te velho!
Aceita os beijos e cala-te!
CALA-TE!

Sunshine... eu quero beijos e quero MUITOS caminhos abertos, aliás eu quero abrir autoestradas de mar!

Sunshine disse...

Oh Wal, os beijinhos são para os dois, não fique com ciúmes, por favor. Além disso são beijinhos de neta para avós.
O mar é uma auto-estrada, já está aberta - abrir auto-estradas não é trabalho para a sua idade.
Beijinhos.

Olá!! disse...

hehe estes dois...
Parabéns Sunshine...
Beijos