terça-feira, 29 de julho de 2008

O PEQUENO SISMO

Há um pequeno sismo em qualquer parte

ao dizeres o meu nome.

Elevas-me à altura da tua boca

lentamente

para não me desfolhares.

Tremo como se tivera

quinze anos e toda a terra

fosse leve.

Ó indizível primavera!


De Eugénio de Andrade

11 comentários:

Coragem disse...

Não conhecia esta poesia de Eugenio de Andrade, aliás não conheço tanta coisa.
Origada, por partilhares, é linda!

Beijo

Maria disse...

Eugébio de Andrade fica bem a qualquer hora do dia ou da noite...
Obrigada!

Beijo

Beautiful Stranger disse...

lindo!!!

adorei seu blog...

:D
http://strangerbeautiful.blogspot.com/

instantes e momentos disse...

passeando outra vez em seu blog. Gosto daqui. Tenha um belo dia.
Maurizio

BlueVelvet disse...

Este homem e Drummond estão para o Amor como o ar está para nós.
Porque será que acho que este blog está muito romântico?
:))
Beijinhos

Francine Esqueda disse...

Olá!? Como vão as coisas?
Vim agradecer de coração sua visita ... Melhor ainda ver post fresquinho! Lindo...
Mais belas as imagens...
Mil Beijocas

mjf disse...

Olá!
Belo...;=)
Não conhecia e adorei

Beijocas
Bom fim de semana

O Profeta disse...

Um apaixonante texto com cadencia telurica...


Doce beijo

Não tente me entender... disse...

Peguei o teu raio de sol para levar diretamnte a gravação do Criança Esperança...
No sábado estarei lá.

Adoro este autor...
Bjs de bom final de semana!

jasmimdomeuquintal disse...

só poderia ser de Eugénio de Andrade, pois claro!
Bom fim de semana

tanokas disse...

fantastiko