terça-feira, 10 de junho de 2008

AS REVIRAVOLTAS DO PENSAMENTO


Desconheço 0 que o futuro me reserva. Ainda bem!
Se conhecesse que interesse teria viver? Seria como estar a representar um guião, sem poder fugir ao que está escrito, sem precalços nem surpresas.
Tenho uma única certeza: estou viva e, por isso, morrerei um dia. É uma evidência e é redundante escrevê-la, mas escrevo-a, porque... porque sim. Nem tudo tem uma razão de ser. Ou terá?
Vivo e aceito, não tenho outra hipótese, que neste tempo, neste espaço tudo tem um fim. Existirão outros tempos, outros espaços? Não sei. Deixei de procurar o eterno ( ou será que apenas afastei esta procura do meu pensamento?) ... senti que era uma busca inglória e que me estava a impedir de apreciar a vida que me vai surgindo.
Este tempo e este espaço são os meus. Não duvido da sua existência. Não vou deixá-los fugir estarrecida pela sua perenidade ou encarcerada em labirintos de perguntas.
Deixaria de viver se mantivesse as pessoas afastadas com receio que um dia me magoassem; se fechasse a porta dos sentidos para evitar que enganassem a minha lógica; se não sonhasse só por saber que os meus sonhos poderão não se transformar em realidade; se fugisse ao desejo para evitar que o seu fogo me queime; se esquecesse o amor com medo da dor que sentirei quando terminar.

Tenho uma taça de ouro à minha frente. Quero beber o seu líquido, saboreando-o lentamente, até não sobrar uma única gota. Terá vinho feito das melhores castas? Ou no fim aperceber-me-ei do travo amargo do veneno? Que importam estas perguntas, depois de já me ter deliciado com o líquido de tão bela taça?

Quero nadar no mar que diariamente me rodeia, umas vezes calmo outras tempestuoso, sem receio de naufragar!

4 comentários:

provokactor disse...

...viver, é tão bom!!
komo saber se a àgua tà freska, se não mergulhas...n'ela, na vida?
E, kuando sentes o vento arrefé-cer-te a péle, é sinal ke, onde se mergulhou era...bom.
Mergulha na vida e, ela te retribuirà ó centuplo...

ventinhos ké pra nã te konstipàres...é pra rir!!

LuzdeLua disse...

Sou como uma grande àrvore e meus amigos, minhas folhas acumuladas e juntas, que amenizam as tempestades da minha vida, de perto ou distantes.
E ainda há aqueles que ficam nas pontas dos galhos, mas que quando o vento sopra, sempre aparece novamente entre uma folha e outra.
O tempo passa, o verão se vai, o outono se aproxima, e perdemos algumas de nossas folhas.
Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações.
Mas o que me deixa mais feliz é que as que caíram continuam por perto, continuam alimentando a nossa raiz com alegria.
Lembranças de momentos maravilhosos enquanto cruzavam o nosso caminho.
Desejo a você, folha da minha árvore, Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade...
Em gratidão pela força e ajuda, estou chegando e superando mais uma batalha desta que é a minha vida.
Obrigada sempre por estar por perto.
Um beijo grande em teu coração.

"Cada pessoa que passa em nossa vida é única. Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós".

Coragem disse...

Viver, mais que tudo...Viver!
Apreciar o paladar fabuloso da vida.
O amnhã só a Deus pertence, hoje é tempo de viver todas as coisas.

Lindissimo texto.

Beijo

jasmimdomeuquintal disse...

Força neste navegar...